EMPRESA QUE DERROTOU A UBER NA CHINA INVESTE US$ 100 MILHÕES NA 99TAXIS

Chinesa Didi Chuxing entra no mercado brasileiro e aumenta competição no transporte de passageiros

  • Estadão Conteúdo

A companhia chinesa Didi Chuxing, conhecida como ‘Uber chinês’, anunciou que está liderando um aporte de mais de US$ 100 milhões na startup brasileira 99 – conhecida pelo aplicativo de transporte 99Taxis. Com o investimento, a empresa chinesa terá direito a um assento no conselho administrativo da startup brasileira e deve trazer conhecimento do mercado de transportes por meio de aplicativos para a 99, já que trata-se de uma das líderes globais nesse mercado. As duas empresas não revelaram qual será a participação da Didi na brasileira.

Presente no Brasil e na América Latina, a 99 tem atualmente mais de 140 mil motoristas registrados em seu serviço, com mais de 10 milhões de usuários em toda a região. “Vamos expandir nossos serviços e remodelar o perfil competitivo do mercado na América Latina”, declarou por meio de nota Paulo Veras, presidente executivo e presidente do conselho da 99, que permanece no cargo.

A Didi Chuxing nasceu em 2015 por meio da união de dois aplicativos de transporte chineses, o Didi e o Kuaidi. Hoje, o aplicativo da empresa é o mais popular na China – em agosto de 2016, após uma batalha bilionária com o Uber, a chinesa adquiriu a operação do rival americano em seu país.

Fundada em 2012, a 99 começou como um aplicativo voltado para conectar taxistas e passageiros. Nos últimos anos, com a crescente competição no setor após a chegada do Uber ao Brasil em maio de 2014, a empresa criou outras modalidades do serviço, como o 99POP, que liga motoristas particulares (em serviço semelhante ao Uber X) e o 99TOP, com táxis de luxo.

Segundo a 99, o aporte traz uma vantagem competitiva para a empresa, que terá acesso à tecnologia desenvolvida pela Didi Chuxing na China. A companhia tem mais de 400 milhões de passageiros no país. “O algoritmo é muito avançado, principalmente ao conectar passageiros que vão compartilhar um mesmo veículo”, explicou Ricardo Kauffman, porta-voz da 99.

Com o dinheiro, a startup brasileira, que hoje tem 250 funcionários, pretende aumentar a equipe. As contratações serão necessárias para ajudar na expansão do 99POP, hoje disponível apenas em São Paulo, para outras cidades brasileiras.

Rivalidade

Para Pedro Waengertner, professor de empreendedorismo da ESPM e presidente executivo da aceleradora Ace, o investimento da Didi na 99 abre um novo capítulo na batalha global entre a chinesa e o Uber. “Hoje, a 99 já compete com o Uber, mas agora a briga vai ficar boa”, diz ele.

Além disso, segundo o executivo, o aporte mostra a importância do Brasil na cena global de startups. “É o movimento de uma empresa estrangeira investindo no mercado brasileiro para competir contra outra empresa estrangeira. Isso mostra que o Brasil é bem visto no mercado internacional.”