Notícias e Artigos

Venture Capital: o que é e como ele pode beneficiar empresas

Você sabe o que é Venture Capital? Entenda que tipo de investimento é esse e como ele pode favorecer seu negócio. Confira!
Marcelo Flores
15 de Fevereiro, 2023

Venture Capital é um tipo de investimento em que capital de risco é fornecido a empresas emergentes com alto potencial de crescimento. É feito por fundos de capital de risco que são administrados por investidores profissionais chamados de Venture Capitalists.

O principal objetivo do Venture Capital é ajudar empresas a crescer, permitindo que elas acessem o capital e o conhecimento necessários para se tornarem líderes de mercado e gerarem retornos significativos para os investidores.

Neste artigo, você vai entender melhor o que é o venture capital e como ele pode beneficiar sua empresa. Acompanhe.

O que é Venture Capital?

Venture Capital (VC), também conhecido como capital de risco, é um tipo de investimento onde um investidor ou grupo de investidores aplicam dinheiro em empresas de alto risco, geralmente startups, scale ups, empresas de inovação ou negócios iniciantes, com o objetivo de obter retorno financeiro a longo prazo.

O Venture Capital tem como objetivo principal maximizar o potencial de um negócio para uma venda futura ou entrada no mercado de capitais, onde o retorno do investimento é alcançado, assim como no private equity e no crowdfunding de equity.

Normalmente, os investidores estão dispostos a direcionar recursos financeiros para essas empresas em crescimento pois têm intuito de obter retornos significativos a longo prazo. Além da possibilidade de obter retornos mais rápidos, alguns dos investidores podem se envolver diretamente na gestão da empresa, ajudando seus gestores na tomada estratégica de decisão.

Como o Venture Capital pode beneficiar uma empresa?

O Venture Capital pode beneficiar uma empresa de várias maneiras, incluindo:

  • Financiamento: O VC fornece capital para ajudar a empresa a financiar sua expansão e crescimento.
  • Conhecimento e experiência: Os investidores de Venture Capital têm ampla experiência em negócios e podem fornecer conselhos e orientações valiosos para ajudar a empresa a alcançar seus objetivos.
  • Networking: Quem investe em Venture Capital tem amplas redes de contato em seus setores e podem ajudar a empresa a estabelecer relações com clientes, fornecedores e outros parceiros importantes.
  • Saída estratégica: Os investidores de VC geralmente buscam saídas estratégicas, como uma compra por outra empresa ou uma oferta pública inicial (IPO), para garantir um retorno sobre seus investimentos.

Embora o Venture Capital possa oferecer muitas vantagens para as partes envolvidas, é importante lembrar que a modalidade ainda é um investimento de alto risco.

Dessa forma, é fundamental estar ciente das tendências do mercado e buscar o máximo de conhecimento antes de investir, para minimizar riscos e garantir segurança.

Conheça as principais vantagens e desvantagens do Venture Capital

Agora, vamos listar algumas das vantagens e desvantagens envolvidas no VC:

Vantagens do Venture Capital

  • Retorno elevado: Um dos principais atrativos do VC é o potencial de rendimento elevado devido ao crescimento das startups, scale ups e empresas de inovação. Investidores bem-sucedidos podem obter retornos de até 25% ao ano, o que pode ser muito atraente para aqueles que procuram investir nesse tipo de fundo.
  • Opção além dos bancos: A principal vantagem para empresas que escolhem esse tipo de investimento é a capacidade de arrecadar fundos sem precisar recorrer a empréstimos bancários que podem ser difíceis de obter para quem está no início da jornada.
  • Diversificação na carteira de investimentos: O Venture Capital pode ser uma escolha vantajosa para os investidores que procuram diversificar sua carteira de investimentos de maneira diferente.
  • Participação no gerenciamento: Além de fornecer recursos financeiros, os investidores também podem apoiar as startups com sua experiência e conhecimento, contribuindo para o crescimento e desenvolvimento interno da empresa.

Desvantagens do Venture Capital

  • Risco significativo: Não é garantia de obter bons resultados devido à instabilidade do mercado, e isso é semelhante a outros investimentos de renda variável. No entanto, o risco é ainda maior, pois o investimento é feito em startups em fase inicial, o que aumenta as chances de o negócio não se desenvolver bem e, consequentemente, todos os investidores perderem.
  • Liquidez reduzida: Ao investir em uma cota de um fundo de VC, o valor investido só poderá ser resgatado junto com o lucro, se houver, após o final do prazo estabelecido, que geralmente demora de 5 a 10 anos após a criação do fundo.
  • Investimento a longo prazo: A meta das startups é se tornar "unicórnio", ou seja, possuir valuation de mais de US$ 1 bilhão antes de abrirem o seu capital na bolsa de valores. Isso pode levar entre 5 e 10 anos para acontecer. Sendo assim, os investidores devem estar cientes do tempo que poderá levar para obter retorno de investimento. Outro ponto a destacar é que é recomendado não investir mais de 10% do seu patrimônio em Venture Capital.

Em resumo, o investimento de venture capital pode ser uma excelente fonte de capital para empresas em estágios iniciais ou em fase de crescimento. 

Entretanto, é necessário estar ciente de que esses investimentos geralmente vêm com algumas desvantagens, incluindo a perda de controle sobre o próprio negócio e a pressão para alcançar metas financeiras agressivas. 

Ou seja, é fundamental estudar e avaliar cuidadosamente se um investimento de Venture Capital é a melhor opção para a sua empresa antes de tomar uma decisão. 

Uma forma de facilitar essa jornada é buscar o auxílio de uma assessoria jurídica, a fim de garantir que as partes envolvidas estejam cumprindo as leis e regulamentações aplicáveis, além de mitigar riscos. 

Acesse nosso blog, confira mais artigos que podem ajudar o seu negócio e tire suas dúvidas com a equipe da Becker.

 

Marcelo Flores
Advogado
Sócio na Área de Contratos e Societário. Tem ampla experiência na estruturação societária, operações de fusões e aquisições e contratos. Tem vasto conhecimento em todas as fases necessárias para a implantação de parques de energias renováveis e PCHs (atuação perante a ANEEL, relacionamentos com bancos na análise e organização de documentos para obtenção das garantias exigidas pelo Poder Público, assessoria nos leilões de compra e venda de energia), além de experiência na coordenação em processos de due diligence para a compra e venda de empresas e de parques de energias renováveis. Conselheiro de Startups na Federação das Indústrias do Paraná - FIEP.
Compartilhar Postagem
Artigos Relacionados
02 de Fevereiro | Notícias
por Felipe Augusto Canto Bonfim

Contratos de Outsourcing de TI: quais os principais aspectos jurídicos da terceirização?
Entenda os principais aspectos jurídicos envolvidos em contratos de Outsourcing de TI e como a atuação de uma consultoria jurídica pode auxiliar....
26 de Janeiro | Notícias
por Fernando Henrique Zanoni

Do legal ao ético: como incorporar Compliance e Integridade em sua empresa?
Confira a importância da compliance empresarial para o sucesso dos negócios e conheça os pilares essenciais para a incorporação da conformidade....
19 de Janeiro | Notícias
por Lucia da Rocha Lusa

Contratos de Vesting e sua importância nas startups
Confira a importância de contar com assessoria jurídica para contratos de startup e saiba mais sobre a relevância dos contratos de Vesting....
Fale Conosco

Entre em contato pelo telefone (41) 3252-1052 ou envie sua mensagem através do formulário

Apenas arquivos PDF, DOC ou DOCX