Notícias e Artigos

INTERNET ESTÁ FORÇANDO GRANDES REDES DOS EUA A FECHAREM DEZENAS DE LOJAS

por Becker Direito Empresarial
30 de Janeiro, 2017

Mais de 10% do espaço de varejo dos EUA, ou quase 1 bilhão de metros quadrados, podem precisar ser fechados. Tudo em razão da migração do consumo para a internet

  Saindo de uma temporada de vendas de fim de ano instável e de pouco movimento nos shoppings, os varejistas dos EUA estão sofrendo pressão para fechar lojas como consequência da migração do consumo para a internet.

Mais de 10% do espaço de varejo dos EUA, ou quase 1 bilhão de metros quadrados, podem precisar ser fechados, convertidos para outros usos ou renegociados por um aluguel mais barato nos próximos anos, de acordo com dados fornecidos à Bloomberg pelo CoStar Group. Isso além das cerca de 5 mil lojas que foram fechadas nos últimos 18 meses, cerca de 50 milhões de metros quadrados de espaço, de acordo com a Clarion Partners.

“Provavelmente há mais por vir”, disse Tim Wang, diretor de pesquisa de investimentos da Clarion, que tem cerca de US$ 44 bilhões em imóveis administrados. “Lamento dizer isso, mas se você olhar para o cenário do varejo em geral, não é nada bom.”

Alguns dos maiores nomes da indústria, incluindo a Sears Holdings Corp. e a Macy’s Inc., disseram que fechariam pontos de venda fracos neste ano. Outras empresas entraram em processo de falência ou estão considerando pedir recuperação, incluindo a The Limited, que já foi uma das redes mais poderosas na indústria de shopping centers.

Um problema enfrentado pelos varejistas dos EUA é que há muitas lojas. O país tem cerca de 24 metros quadrados de imóveis de varejo per capita, de acordo com dados compilados pela Clarion. Em comparação, o Canadá tem apenas 16 metros quadrados por pessoa.

Os consumidores até gastaram mais no fim de ano, mas a maior parte do aumento veio de grandes redes de descontos e compras on-line. Os gastos totais subiram 4%, para US$ 658,3 bilhões, durante novembro e dezembro, superando a projeção de 3,6%, de acordo com a National Retail Federation. As vendas fora de lojas, um indicador de transações on-line, saltaram 13%.

Custos também empurram migração do comércio para internet

A alta de gastos não se estendeu a todos os varejistas em shoppings, especialmente as lojas âncoras. A Macy’s relatou vendas decepcionantes no período, e a empresa anunciou um plano para cortar 6,2 mil postos de trabalho. Ela disse anteriormente que iria fechar 100 lojas, sendo 68 neste ano. Esse movimento eliminará mais 4 mil postos de trabalho. A Sears também anunciou um movimento para fechar lojas após uma queda nas vendas de fim de ano. A rede de lojas de departamentos fechará 150 pontos de venda.

Esses fechamentos somam cerca de 28 milhões de metros quadrados, de acordo com um relatório de Suzanne Mulvee, estrategista de varejo da CoStar.

Desde a última Black Friday, o dia após o Dia de Ação de Graças que marca o início não oficial da temporada americana de compras de fim de ano, as ações da Macy’s e da Sears perderam cerca de um terço de seu valor. As ações da Macy’s já caíram mais de 17% neste ano.

Com os aluguéis de varejo em alta devido à baixa oferta de novos espaços e o comércio eletrônico continuando a crescer, é inevitável que mais lojas fechem as portas, disse Marshal Cohen, analista do NPD Group. “Esta é agora uma oportunidade para os varejistas avaliarem suas estruturas, olhando para cada loja e determinando se eles precisam dela ou não”, disse Cohen.

Para alguns, os fechamentos são parte de uma reorganização mais ampla. O grupo BCBG Max Azria, a casa de moda fundada pelo designer Max Azria, está deve fechar lojas e se reestruturar. A Limited, uma varejista de roupas femininas de capital fechado, fechou todas as 250 lojas antes que pedisse falência na última semana.

A Kenneth Cole, uma empresa de moda fundada há mais de três décadas, está fechando quase todas as lojas para se concentrar em suas vendas internacionais e de comércio eletrônico. O varejista vai fechar suas 63 lojas em outlets, deixando apenas duas lojas nos EUA.

Ainda assim, para os varejistas sobreviventes, muitos dos fechamentos podem ajudar a equilibrar suas carteiras, já que mais vendas estão migrando para o mundo on-line, disse Logan Rodriguez, diretor de vendas da Square Root, fornecedora de software especializado para varejistas. Na verdade, 41 das 68 lojas da Macy’s que vão fechar neste ano estão dentro de um raio de 16 quilômetros de uma loja irmã, de acordo com CoStar.

Fonte: http://www.gazetadopovo.com.br/economia/internet-esta-forcando-grandes-redes-dos-eua-a-fecharem-dezenas-de-lojas-cd9o7a01k20dywuy7b0mockjw  
Compartilhar Postagem
Artigos Relacionados
29 de Fevereiro | Notícias
por Marilia Bugalho Pioli

O Contencioso Estratégico na tomada de decisões
Confira no artigo o que é Contencioso Estratégico e entenda sua importância para a tomada de decisões....
02 de Fevereiro | Notícias
por Felipe Augusto Canto Bonfim

Contratos de Outsourcing de TI: quais os principais aspectos jurídicos da terceirização?
Entenda os principais aspectos jurídicos envolvidos em contratos de Outsourcing de TI e como a atuação de uma consultoria jurídica pode auxiliar....
26 de Janeiro | Notícias
por Fernando Henrique Zanoni

Do legal ao ético: como incorporar Compliance e Integridade em sua empresa?
Confira a importância da compliance empresarial para o sucesso dos negócios e conheça os pilares essenciais para a incorporação da conformidade....
Fale Conosco

Entre em contato pelo telefone (41) 3252-1052 ou envie sua mensagem através do formulário

Apenas arquivos PDF, DOC ou DOCX