Notícias e Artigos

Hypermarcas quer fazer alianças com farmacêuticas

por Becker Direito Empresarial
03 de Dezembro, 2014

A fabricante de medicamentos e produtos de consumo Hypermarcas estuda alianças estratégicas na área farmacêutica, disse ontem o presidente da empresa, Claudio Bergamo. "Não é nada para o curtíssimo prazo, mas é um caminho que estamos olhando além do crescimento orgânico", afirmou o executivo, durante apresentação anual para analistas e investidores.

"Recentemente viajamos para a Índia para conhecer possíveis parceiros e novos mercados", contou. Segundo Bergamo, a indústria indiana tem 45% do mercado americano de genéricos. Ele citou, entre as principais empresas: Glenmark, Cipla, Cadila, Dr. Reddy's, Ranbaxy e Sun Pharmaceutical. "Percebemos nessa viagem que quando as empresas entenderam o que é a Hypermarcas, viram o grande potencial de compartilhar tecnologia". Só cerca de 20% da receita dessas companhias é gerada na Índia, segundo Bergamo. "Muitas delas tentaram fazer negócios no Brasil e, em sua maioria, chegaram à conclusão que a barreira de entrada é muito grande. Elas perderam muito dinheiro aqui e disseram que só entram no Brasil com alguém que conhece o mercado".

As alianças com indústrias internacionais são avaliadas como parte da estratégia da companhia para ocupar espaços em branco no mercado farmacêutico. A Hypermarcas compete em 51% de todos os tipos de medicamentos oferecidos no mercado brasileiro e quer chegar a 78% em três a cinco anos. Para isso, está desenvolvendo mais medicamentos. "Mas também queremos trazer produtos que existem lá fora e ainda não estão no Brasil", disse Bergamo.

A Hypermarcas é líder no mercado brasileiro de medicamentos OTC (isentos de prescrição médica), com marcas como Gelol, Rinosoro, Apracur, Atroveran e Benegrip. A empresa é a segunda colocada no segmento RX (com prescrição), atrás da Novartis, e terceira em genéricos, após EMS e Sanofi.

Luiz Violland, presidente da divisão farmacêutica da Hypermarcas, disse que a empresa quer crescer em vitaminas - categoria em que tem 27% das vendas e pode atingir 80% -, medicamentos para diabetes e para o sistema nervoso.

Bergamo contou que o bloco de controle da fabricante tem discutido até que ponto o nome Hypermarcas traduz o que a companhia é hoje. O nome foi adotado em 2007, quando a companhia iniciou uma série de aquisições - foram 23, até 2010. Atualmente, 65% dos negócios da Hypermarcas são considerados do segmento farmacêutico. Esse percentual inclui preservativos, adoçantes e protetores solares. Tais categorias são geridas pela divisão de consumo da empresa, mas, segundo Bergamo, são classificadas mundialmente como produtos farmacêuticos.

Os outros 35% dos negócios se referem a produtos de higiene e beleza. Segundo Bergamo, apenas 15% da receita total da Hypermarcas, no entanto, seria impactada por um possível aumento da carga tributária sobre o setor de cosméticos. Reportagem da "Folha de S. Paulo" de ontem informou que a nova equipe econômica da presidente Dilma Rousseff estuda elevar a alíquota de PIS/Cofins sobre importados e aumentar a tributação ao setor de cosméticos em 2015, para equilibrar as contas públicas. O Valor havia informado, em fevereiro, que o governo estudava essa possibilidade, mas o Ministério da Fazenda prometeu, em abril, que consultaria o setor antes de uma decisão. O presidente da associação nacional das indústrias de higiene e cosméticos, João Carlos Basilio, disse ontem que não houve nenhuma reunião recente com o governo. "Acredito que qualquer coisa que seja terá validade apenas em 2016", afirmou Bergamo. As ações da Hypermarcas fecharam em queda de 4,7% ontem. Os papéis da Natura, líder do setor, recuaram 5,2%.

Fonte: http://www.valor.com.br/empresas/3800490/hypermarcas-quer-fazer-aliancas-com-farmaceuticas#ixzz3KplNmZBc
Compartilhar Postagem

Artigos Relacionados

25 de Novembro | Notícias
por Juliana Mailene Belz Moroz Ariello

5 dicas para sua empresa vender bem na Black Friday

5 dicas para sua empresa vender bem na Black Friday...
17 de Novembro | Notícias
por Rafael Reis

Política de privacidade: o que é e como elaborar?

Entenda o que é política de privacidade e como elaborar esse documento atendendo aos requisitos da LGPD e do Marco Civil da Internet....
28 de Outubro | Notícias
por Marcelo Flores

Expansão de empresas: o que levar em consideração antes de investir?

Saiba o que levar em consideração antes de investir em um plano de expansão de empresas, aumentando as chances de sucesso....

Fale Conosco

Entre em contato pelo telefone (41) 3252.1052 ou envie sua mensagem pelo formulário ao lado.

Apenas arquivos PDF, DOC ou DOCX