Notícias e Artigos

Atraso para homologar rescisão no sindicato não gera multa

por Becker Direito Empresarial
05 de Agosto, 2014
Por Leonardo trevisan Zacharias (advogado do escritório Becker Flores Pioli Kishino - Direito Empresarial). A legislação trabalhista determina que cessado o pacto laboral entre o empregado e a empresa, esta tem um lapso temporal para que sejam quitadas as verbas rescisórias devidas ao obreiro, sob pena de aplicação de multa no importe de 1 (um) salário. Conforme regulamenta o artigo 447, § 6º e 8º da CLT: Art. 477. ... § 6º. O pagamento das parcelas constantes do instrumento de rescisão ou recibo de quitação deverá ser efetuado nos seguintes prazos: a) até o primeiro dia útil imediato ao término do contrato; ou b) até o décimo dia, contado da data da notificação da demissão, quando da ausência do aviso prévio, indenização do mesmo ou dispensa de seu cumprimento. ... § 8º. A inobservância do disposto no § 6º deste artigo sujeitará o infrator à multa de 160 BTN, por trabalhador, bem assim ao pagamento da multa a favor do empregado, em valor equivalente ao seu salário, devidamente corrigido pelo índice de variação do BTN, salvo quando, comprovadamente, o trabalhador der causa à mora. (Parágrafo acrescentado pela Lei nº 7.855, de 24.10.1989) (Negrito posto) Pela simples leitura do artigo acima citado constata-se que não há a determinação que a homologação da rescisão contratual seja formalizada no prazo previsto no § 6.º, sob pena de imposição da multa. Logo, se a empresa efetuar o pagamento das verbas rescisórias dentro do prazo estabelecido na lei, não há que falar no pagamento da multa do § 8º do artigo 477 da CLT, ainda que a homologação se dê posteriormente ou que guias do FGTS e do seguro-desemprego sejam entregues fora do aludido prazo. O Tribunal Superior do Trabalho confirmou este entendimento, conforme recente julgado abaixo transcrito: RECURSO DE REVISTA. MULTA DO ART. 477, § 8.º DA CLT. ATRASO NA HOMOLOGAÇÃO DA RESCISÃO CONTRATUAL. O artigo 477, § 6.º, da CLT trata apenas dos prazos para o pagamento das verbas da rescisão do contrato de trabalho. Tem-se que o fato gerador da multa de que trata o § 8.º do artigo 477 da CLT é o retardamento na quitação das verbas rescisórias, e não a homologação da rescisão. Se a Reclamada, ao efetuar o pagamento da rescisão, observou os prazos previstos na lei, não incide a penalidade prevista no art. 477, § 8.º, da CLT. Recurso de revista conhecido e provido." (TST-RR - 128100-86.2009.5.03.0021, Data de Julgamento: 6/4/2011, Relator: Ministro Aloysio Corrêa da Veiga, 6.ª Turma, Data de Publicação: DEJT 19/4/2011.) Assim sendo, caso não seja possível para a empresa homologar a rescisão de seu colaborador no prazo previsto para o pagamento das verbas rescisórias, deve realizar o depósito dos valores devidos na conta do empregado, sob pena da aplicação da multa prevista no art. 477, § 8º da CLT.
Compartilhar Postagem

Artigos Relacionados

25 de Novembro | Artigos
por Caroline Emanuelle Chusta Moresco

Demissão por justa causa devido ao envio de dados confidenciais por e-mail

Demissão por justa causa devido ao envio de dados confidenciais por e-mail...
22 de Outubro | Artigos
por Luis Fernando Faller

STF julga inconstitucional dispositivos da reforma trabalhista referente aos honorários de sucumbência do beneficiário da justiça gratuita nos processos trabalhistas

STF julga inconstitucional dispositivos da reforma trabalhista referente aos honorários de sucumbência do beneficiário da justiça gratuita nos processos trabalhistas...
24 de Setembro | Artigos
por Rafael Reis

Regulamentação da LGPD para empresas de pequeno e médio porte e startups: entenda as mudanças.

A LGPD entrou em vigor em 18/09/2020, com o objetivo de proteger os direitos fundamentais de liberdade, privacidade e o livre desenvolvimento da personalidade da pessoa natural....

Fale Conosco

Entre em contato pelo telefone (41) 3252.1052 ou envie sua mensagem pelo formulário ao lado.

Apenas arquivos PDF, DOC ou DOCX