EXPECTATIVA PÓS ELEIÇÕES

Por Luana do Bomfim e Araujo, Advogada da área de Contrato & Societário do Escritório BECKER DIREITO EMPRESARIAL.

Acabaram as eleições, e não só o povo brasileiro, como o mundo todo está olhando para o Brasil, e aguardando o rumo que o país tomará com o novo Presidente Jair Bolsonaro!

As eleições marcaram o ápice de uma batalha que há muito tempo vem sendo construída entre o povo brasileiro, desde que a população decidiu se unir para combater a corrupção e os governos corruptos, e se unir para dar força a sua voz. Contudo, durante estas eleições, o que se viu foi uma grande divisão, com dois lados opostos bem definidos, que fortemente defenderam e lutaram até o fim pelos seus ideais e pelo seu candidato.

Bolsonaro saiu vitorioso, mas desde já tem pela frente a missão de unir o povo, e mostrar as suas intenções para aqueles que acreditam que o novo governo é uma ameaça às minorias e à tão recente democracia brasileira.

O mercado reagiu bem à vitória de Bolsonaro, e declarou seu apoio ao novo governo, e através de seus representantes, bancos, agronegócio, indústrias, comércio, entre outros, deixaram que esperam que o novo governo priorize as reformas institucionais e estruturais visando a fomentar a economia, através da diminuição da carga tributária, do combate à corrupção, da desburocratização dos processos, e do incentivo aos novos negócios e à inovação.

Ao redor do mundo, governos e grandes investidores também estão atentos aos próximos passos, e aguardam com grande expectativa a confirmação dos novos rumos que, vindo a se concretizar, prometem a chegada do tão esperado crescimento econômico, com investimentos estrangeiros e apoio dos outros governos.

Apesar das novas medidas não terem sido claramente divulgadas durante a campanha, Bolsonaro prometeu cortar ministérios, fundir outros e revisar cargos comissionados, para reduzir os gastos públicos, e não aumentar impostos. Também prometeu privatizar estatais, mantendo estatais áreas consideradas estratégicas. Prometeu flexibilizar da lei trabalhista a partir da criação da carteira de trabalho verde amarela. Prometeu combater fortemente a criminalidade e a corrupção. Em relação às minorias, prometeu que não haverá preconceito.